Guia: 7 dicas para cuidar das coroas rosqueadas e comuns dos relógios

No Guia em que tratei das dicas de manutenção para nossos relógios (aqui) mencionei que posteriormente falaria dos cuidados necessários para prolongar a vida útil das coroas, sejam elas comuns ou as que exigem mais atenção, as rosqueadas. Ao enroscar uma coroa ela gira dentro de um tubo de aço e, com o tempo, acontece um desgaste natural de ambos. Ocorre que esse desgaste pode ser postergado para daqui a sete décadas ou adiantado drasticamente caso não se tome os devidos cuidados.

Com o desgaste instalado, na melhor das hipóteses será apenas a coroa que precisará ser substituída, contudo algumas são verdadeiramente raras e caras. No pior dos casos o tubo da coroa pode ter se desgastado e aí sim a manutenção tende a ser bastante onerosa ou até mesmo impossível fora do Japão. Muitos tubos são soldados e o processo para removê-los é extremamente delicado, assim como a instalação de um novo. Minha intenção aqui é impedir que isso ocorra com seus relógios, então, vejamos as dicas:

Calibre 7S26 com vista para a coroa e haste acessando o maquinário.

1. Relógio fora do pulso

Todas as vezes que você for mexer na coroa o relógio deve estar firme na sua mão oposta ao lado da coroa, ou seja, coroa do lado direito do relógio, segure-o com a mão esquerda e execute a tarefa com a mão direita. JAMAIS tente manusear a coroa com o relógio no pulso, você não terá a firmeza e ângulo necessários e acabará forçando a haste da coroa que é muito delicada e responsável por movimentar peças ainda mais sensíveis no interior do maquinário. Comumente o fato de ignorar esse conselho leva ao empenamento ou quebra da haste que pode ser bastante dispendiosa para substituir ou quase impossível de se encontrar.

2. Cuidado com a pressa e atenção ao calendário

Não raramente saímos apressados e só nos damos conta da ausência do relógio quando já estamos abrindo a porta de casa. Bem, como disse acima a estrutura da coroa é bastante delicada então evite realizar ajustes com pressa. Se for o caso é melhor colocar seu relógio mecânico no pulso e deixar para ajustá-lo quando já estiver em seu destino.

Seiko Prospex Samurai SRPB53J1. Foto: @seikophd.

Tenha cuidado com o momento da troca do calendário, geralmente esse processo começa entre 10 e 12 horas da noite, perdurando até umas 3 horas. Nesse período, caso seu relógio tenha câmbio rápido do calendário, este não deve ser ajustado, pois o maquinário já iniciou a troca e uma intervenção abrupta pode resultar em danos PERMANENTES ao calibre. Procure ajustar o calendário quando os ponteiros estiverem ultrapassando as 4 horas da manhã. O manual do relógio pode impor casos específicos, atente-se para isso.

3. Mantenha seu relógio regulado

Se o calibre do seu relógio for capaz de trabalhar de forma mais precisa do que quando saiu de fábrica, o que é comum nos movimentos básicos e intermediários da Seiko, leve a um bom relojoeiro e peça para regular o seu relógio. Essa dica é extremamente valiosa e tem especial aplicação para os amigos que costumam utilizar repetidas vezes o mesmo relógio ou têm poucos modelos, isso porque um relógio que esteja atrasando ou adiantando algo como 20 segundos ao dia te forçará a ajustá-lo ao menos uma vez por semana, o que causará um desgaste desnecessário.

Seiko Presage Blue Enamel SPB073. Foto: divulgação Seiko.

O seu objetivo deve ser realizar esse manuseio da coroa o mínimo possível, apenas uma vez por mês deve ser o suficiente, seja para ajustar o calendário, seja para atualizar a hora. Desta forma, em vinte anos você terá desparafusado a coroa 240 vezes e lhe garantirá uma longa vida, por outro lado, caso opte por realizar esse ajuste uma vez por semana ou até mais que isso (já vi pessoas que regulam a cada três dias), estamos falando de ao menos 960 ajustes em vinte anos e um desgaste bem acentuado.

Sendo mais direto, os calibres mais vendidos da Seiko podem receber ajuste fino com tranquilidade e trabalhar com uma exatidão muito boa, diria que abaixo de 4 segundos ao dia, enquanto um desregulado vem oscilando entre 10 e 15 segundos frequentemente. Movimentos como 630970027S264R354R36 e 6R15 mantêm a regulagem com facilidade.

Seiko Stargate SRP493K1. Foto: dutyfreeislandshop.com

4. Um pouco de graxa vai ajudar

Aplicar um pouco de graxa lubrificará o aço e reduzirá o atrito entre as partes prolongando a vida útil dos fios, além de tornar a experiência de enroscar e desenroscar a coroa mais suave e precisa, mas ATENÇÃOnão utilize óleo ou graxa à base de petróleo, pois esse material tende a acumular sujeira e ressecar, complicando a vida do seu relógio. Como mencionei outras vezes, a Seiko produz todos os componentes usados em seus relógios (fora ela, somente a Rolex faz isso), inclusive os lubrificantes, e ela tem óleo e graxa à base de silício que são ideais para a coroa, além de não custarem caro.

5. Compensar a regulagem durante a noite

Confesso que desconhecia essa “técnica” até uns quatro anos atrás quando li o relato em um fórum gringo e resolvi testar. Acontece que por conta da posição dos componentes do calibre e da ação da gravidade sobre um relógio repousando durante a noite, este pode atrasar ou adiantar e a intenção é usar esse efeito a seu favor. Quando li achei meio risível as experiências dos amigos “foreiros”, pois basta manter seu relógio regulado para estancar esse problema, no entanto imaginemos um modelo vintage dos anos 50 ou 60 que já está com a mola principal cansada, não pega regulagem e não se acha mais a mola para comprar, essa estranha técnica pode ajudar.

Seiko Sea Lion M55 6205-8960. Foto: catawiki.com

Ela consiste em fazer experimentos deixando o relógio uma noite inteira de cada lado até constatar em qual posição o maquinário funcionará de forma mais precisa. Comprovei empiricamente essa teoria com um antigo Seiko SeaLion de 1962 que tive, realmente ele compensava quase 20 segundos durante a noite (sim, estava muito desregulado) estando em pé sobre a lateral da coroa, mas depois consegui ajustá-lo e não foi mais necessário aplicar a “técnica”. De qualquer forma, fica a dica que pode economizar vários manuseios na coroa.

6. Muito cuidado ao encaixar a coroa

Como visto nos tópicos 1 e 2 o ato de manusear a coroa deve ser executado com atenção aos detalhes e o momento de encaixá-la e começar a rosquear é um dos mais importantes. Seja cauteloso ao voltar a coroa para seu lugar, aplique um pouco de pressão para baixo até sentir que ela entrou em contato com o tubo da coroa, certifique-se de que a pressão seja uniforme, de modo que a coroa fique perfeitamente horizontal em relação à caixa e a haste não esteja curvada. Em seguida gire-a no sentido anti-horário cerca de um quarto de volta ou até sentir uma pequena queda ou o clique das roscas se alinhando, depois basta girar no sentido horário mantendo a pressão.

Grand Seiko 6146-8000. Foto: sg.carousell.com

Esses cuidados são necessários para se evitar cruzar as roscas, ou seja, forçar o encaixe da coroa no tubo e acabar colocando-a fora do local adequado. O princípio é o mesmo usado na engenharia e na mecânica, é preciso alinhar os fios das roscas para que uma corra dentro da outra e feche perfeitamente. A atenção a esses detalhes é ainda mais importante em relógios mais baratos como esses chineses mecânicos onde a coroa balança e parece estar meio solta. Uma sugestão final é não apertar a rosca demasiadamente, feche, porém não há necessidade de atarraxar como se a vida de alguém dependesse disso. Há alguns anos presenciei um relógio que o dono havia danificado a coroa ao tentar desenroscá-la com um alicate, pois estava muito presa. Ele precisou substituir a coroa.

7. Como limpar a coroa e seu tubo

A poeira parece, de fato, entrar em qualquer lugar. Até mesmo em um relógio que vive com a coroa rosqueada um dia haverá sujeira. Esses vestígios podem ser visíveis como uma crosta depositada entre os fios da rosca ou invisíveis, causando uma sensação de “areia” dentro do mecanismo rosqueável. Para esse tipo de limpeza não é recomendada a utilização de água, pois pode entrar no mecanismo e causar corrosão.

Seiko Alpinist SARB017. Foto: watchpatrol.net

Caso não se sinta confiante em executar a tarefa leve seu relógio a um profissional qualificado, mas se preferir limpar o ideal é usar uma escova de cerdas muito macias e passar nos fios da rosca da coroa de forma bem suave. Se a sujeira estiver mais grossa use um pouco do óleo à base de silício e esfregue com calma até que esteja limpo. Outra técnica caseira que costuma funcionar é o uso de um fio dental neutro embebido em óleo de silício. Neste caso basta enrolá-lo na cora e enroscar algumas vezes visando limpar todo o conjunto, inclusive o tubo da coroa. Faça com calma e atenção que provavelmente terá seu problema resolvido.

Seguindo essas dicas não há como errar e a vida útil da coroa e seu tubo estarão garantidas por muitas décadas. Não deixe de assinar nossas notificações por e-mail, de se inscrever em nosso canal no YouTube, curtir nosso Facebook e de nos seguir no Instagram. Forte abraço!

 

 

24 comentários em “Guia: 7 dicas para cuidar das coroas rosqueadas e comuns dos relógios

Adicione o seu

  1. Bom dia, Ramon, tudo bem? Um amigo tem um Orient Poseidon e eu o via acertar o relógio no pulso. Eu o alertei sobre o dano que poderia causar esse procedimento, mas ele ignorou-me. Fez isso por quase 2 anos, até que entortou a haste e ficou com dificuldade em rosquear a coroa nesta semana. Coincidentemente hoje vc postou a matéria com suas dicas. Obrigado e bom domingo. Abs!

    1. Bom dia Carlos!

      É um risco que muitos ignoram mesmo e olha que você ainda o alertou. É de fato uma pena, espero que seja possível reparar e não fique muito caro para seu amigo.

      Se possível mande o link para ele, pois pode ajudá-lo no futuro. Abraço e ótimo domingo!

      1. Sim, eu já enviei o link a ele com a famosa frase: “Eu te avisei!” Rsrsrs. Abraço.

    2. Mais um tópico de grande ajuda. Mas agora você me deixou com a pulga atrás da orelha. E para quem tem mais de 1 relógio e acaba sempre ficando sem corda, pq está usando outro relógio. Isso acarretará vários ajustes ao ano…
      Fazendo corretamente imagino eu que não cause problemas no futuro!?

      1. Obrigado Lucas, fico feliz que o Guia tenha lhe ajudado.
        Veja, o ideal é enroscar e desenroscar a coroa o mínimo possível, mas isso não quer dizer que se você fizer esse ajuste uma vez por semana sua coroa estará condenada, obviamente não, porém provavelmente ela sofrerá mais desgaste do que outra que foi manuseada uma vez ao mês.
        Para atenuar o desgaste mantenha os fios da coroa e do tubo sempre limpos e bem lubrificados(além de observar as demais sugestões deste Guia), assim não deve ter problemas.
        Abraço!

  2. Ótimas dicas! Meu skx, que é de longe o relógio que mais uso, deve estar sofrido então. Ajusto ele mais ou menos 1 vez por semana para usar (em geral, meu rodízio de uso se dá entre 3 relógios).
    Abraço!

    1. Fico feliz que tenha gostado amigo, mas tenha atenção com esse manuseio constante para não danificar seu relógio! Abraço! 👍

  3. Outra coisa, Ramon: li em fóruns nacionais que seria melhor a longo prazo deixar o relógio parado uns dias da semana e ajusta-lo quando for usar, do que mantê-lo funcionando ininterruptamente e raramente ajustar a coroa. É como se toda a máquina ficasse menos rodada ao custo do ajuste maior via coroa. Que acha?
    Obs: no meu skx eventualmente sinto um tranquinho ao começar o ajuste da hora, principalmente quando passo muito tempo sem fazer a operação. Pode ser falta de lubrificação?

    1. A informação dos fóruns está correta João, tratei desse assunto em profundidade no artigo que responde se relógio automático parado pode estragar. Estou ao celular, mas no final do dia colocarei o link nesta resposta.

      Realmente o relógio em constante trabalho sofrerá os desgastes de qualquer máquina que fique ininterruptamente ligada, por outro lado se permanecer parado demais perderá a lubrificação e ao ser usado sofrerá desgaste prematuro.

      Daí voltamos à máxima de no máximo um ajuste por mês e, se tiver todos os fatores externos favoráveis, usar o relógio ao menos uma vez a cada um ou dois meses para não sofrer com o período de pausa.

      O mais provável é que esse estalo seja a falta de lubrificação mesmo, comece o ajuste devagar, sem muita força e veja se ele se repetirá. Caso o relógio tenha sofrido um impacto pode ser alguma engrenagem deslocada ou empenada. Você comentou que estava quase na hora da revisão, aproveite para relatar esses detalhes e tudo deve ficar bem.

      Esse tranco é bastante comum ao tentar ajustar o calendário pelo câmbio rápido após o início da troca pelo sistema, tenha cuidado, nesse caso pode danificar o sistema permanentemente.

      Abraço!

      1. Valeu, Ramon. Eu sempre tomo cuidado com o câmbio rápido de data/dia. No skx é um estalinho mesmo, algo que acontece as vezes e só quem está operando a coroa sente (inaudível).
        Na revisão vou citar isso mesmo.
        Off Topic: Estou pensando em comprar um turtle save the ocean (igual ao seu). Porém quero usar uma pulseira de couro rústico marrom escuro. Estou achando a combinação talvez estranha. Que acha?

      2. Acredito que esse estalo seja lubrificação ou talvez algum dente da roda do calendário esteja danificado, não quero alardear nem nada do tipo, provavelmente a lubrificação resolverá.

        Quanto ao Save the Ocean já acrescento que é um relógio MARAVILHOSO! Nós sabemos que a Seiko é elogiada mundialmente pelos belos mostradores, mas nesse ela realmente encantou, é sensacional e você fará uma ótima compra.

        Relógio de mergulho sofre esse pequeno conflito, já que uma pulseira de couro em relógio feito para água parece um erro crasso, mas não é, combina realmente muito bem e vale a tentativa, apesar de que nunca coloquei nesse modelo específico, vou testar.

        Se fechar a compra não deixe de nos contar, abraço!

  4. Ramon, o estalo é ao mover a coroa para ajuste de hora apenas. Como se o mecanismo estivesse muito tempo parado e com lubrificação já deficiente. Na revisão vou citar.
    Quanto ao turtle, estou em dúvida pois o acho grande. Meu pulso é bem magro kkk e quero obrigatoriamente colocar na coleção um relógio com pulseira de couro marrom para ficar fixo assim e eu sempre ter essao pulseira “a pronto uso”. Não sei se o azul do mostrador combina com a pulseira de couro. Esse azul não deixa o relógio muito chamativo não?

    1. O azul vai de um tom anil até um quase preto, o bezel que possui um tom mais claro. Os detalhe em preto PVD o deixam mais discreto, fica bonito.

      Vou colocar uma pulseira marrom esta semana e posto no Instagram @seikophd até o final da semana que vem, embora não ache que será a melhor combinação, o ideal seria um Pepsi, já que o vermelho do bezel harmoniza bem com tons terrosos.

      1. Obrigado, Ramon. Não tenho Instagram, mas vou pedir pra minha esposa te seguir. Bom fds

  5. Bom dia Ramon!

    Parabéns pelo artigo, muito enriquecedor! Obrigado!

    No caso dos Diver´s, eu tenho um Turtle Gilt 4R36 e um Samurai 4R35. Os utilizo no dia a dia, não mergulho com eles em piscina, mar ou rio. Neste caso podemos usá-los com a coroa desrosqueada para poupar mais o calibre, evitar danos e prolongar a vida útil, rosqueando apenas quando formos realizar um mergulho ou sempre, independentemente da realização de práticas aquáticas, devemos rosquear a coroa;/

    Outra dúvida que tenho advém do fato de ter reparado que, em algumas vitrines de relojoarias, os relógios ficam com suas coroas puxadas. Essa prática deve ser adotada para armazenar nossos relógios mecânicos;/ Acho que nos relógios que não possuem a função hacking-seconds não teria esse “problema”, mas calibres como os 4R os possuem, não sei se guardar com a coroa puxada poderia “forçar” desnecessariamente a mola.

    Obrigado!

    1. Bom dia Hector!

      Utilize seu relógio com a coroa rosqueada, mas não precisa apertar demais se não for nadar com ele, isso facilitará um próximo ajuste. É importante que esteja rosqueada para caso ocorra algum choque não haja o forçamento da haste, que poderia até mesmo quebrar. Mantenha rosqueada, é mais seguro.

      Excelente observação essa da segunda pergunta meu amigo, não guarde o relógio com a coroa puxada, a bem da verdade sistema de hack possui uma mola que trava a roda dos segundos nos relógios a quartzo ou o balanço nos mecânicos e meu experiente relojoeiro desaconselha exatamente por forçar demais a mola principal. Apensa tire seu relógio do pulso e guarde-o como está, funcionando mesmo, é melhor e mais seguro.

      Farei um vídeo futuramente mostrando esses mecanismos e postarei em nosso youtube.

      Grande abraço!

  6. Bom dia Ramon! Obrigado pela resposta e pelos conselhos! Um grande abraço e ótimo feriado de carnaval!

  7. Mais um excelente artigo. Às vezes fico é horas aqui, vou só clicando nos links e viajando nesse Universo. Valeu Ramon, tudo de bom pra você.

    1. Obrigado meu amigo, esse retorno é muito importante e me alegro ao saber que está gostando do nosso site. Um abraço e volte mais vezes.

  8. Excelente artigo e de grande utilidade meu amigo! São os cuidados nos mínimos detalhes que fazem dos relógios essas joias septuagenárias como muitas que tanto admiramos. Por aqui sempre encontramos essas informações vitais aos nossos marcadores do tempo.
    E… é seguindo o PhD que um dia teremos o mestrado né.
    Forte abraço e um ótimo final de semana!

    1. Como sempre muito gentil em suas palavras meu amigo Junior Monteiro. Muito obrigado, vamos caminhando e aprendendo sempre, forte abraço e ótimo final de semana para você também!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑