Reflexão: Diferenças entre juntar e colecionar relógios

O tema colecionismo é bastante comum nas conversas entre amigos que gostam de relógios. Enquanto alguns querem ir à fundo no assunto, outros preferem a despreocupante superficialidade dos temas relacionados à horologia e suas vertentes. Desse ponto a estrada até então seguida por ambos se divide claramente.

Grande parte dos admiradores de relógios os compram apenas por considerar um modelo bonito ou por gostar daquela “grife” estampada no mostrador, pouco importa o movimento, uma complicação extravagante, os detalhes do acabamento que exigem minutos (ou horas) de observação para serem notados por completo, ou que tipo de calibre intrigante e inovador é aquele. Essas pessoas estão na categoria dos “juntadores” ou “acumuladores” (no bom sentido) de relógios.

Seiko SKX009 de 1996. Foto: @SeikoPhD.

Elas optam pela remansada sensação de colocar tal modelo no braço por gostar e ponto final. Inicialmente não se pode tecer qualquer tipo de crítica contra essas pessoas, elas movimentam o mercado, curtem seus relógios e são felizes sem a necessidade de memorizar dados, conhecer estatísticas, histórias e etc. Esse grupo é bastante abrangente e seus itens, de maneira geral, podem ser guardados tranquilamente em gavetas ou prateleiras sem “excessivos” cuidados que algumas joias merecem, grande parte dos colecionadores começou assim.

A vantagem desse nicho é que são pessoas que curtem o produto de maneira despretensiosa, já a desvantagem é que tendem a comprar relógios sem muito critério e aqui o barato pode sair caríssimo. Um relógio de cinquenta reais que dura trinta dias (às vezes bem menos!) é muitíssimo mais caro que outro de setecentos reais que durará quinze anos ou mais, sem mencionar o desapontamento de ver aquele relógio “tão bonito” parar sem qualquer explicação. Outro perigo constante está na tentação pelas réplicas e falsificações, se você está nesse grupo fique longe delas! 

Seiko Presage Cocktail Time. Foto: sg.carousell.com

Já o grupo dos colecionadores tende a ter uma organização maior de seus relógios, muitas das vezes segue um tema e é pautado por uma dedicação maior ao estudo e aquisição de conhecimento. Anteriormente abordei um pouco desse assunto ao escrever sobre como iniciar e melhorar sua coleção, leia aqui.

Os colecionadores inclinam-se um pouco mais para as histórias de seus relógios, independendo do preço, e comumente têm maior preocupação com um armazenamento correto. Sempre estão à procura de novas informações e em busca de histórias e estórias, todavia podem esbarrar em um ponto bastante negativo, o orgulho ou a “sensação do elitismo”. Alguns indivíduos passam a se sentir melhores que os “juntadores” ou outros colecionadores por estudarem mais, terem maior domínio sobre aquele assunto, possuírem relógios mais valiosos e então temos explosões de arrogância e antipatia em fóruns e grupos de amigos, sempre respaldadas por alguns apoiadores medrosos que tentam adquirir ali algum respeito dos arrogantes.

Seiko Kinetic Diver’s 5M23 de 1995. Foto: @SeikoPhD.

Ora, essas atitudes só demonstram a precariedade intelectual dessas pessoas e o quanto estão despreparadas para o convívio social, humilhar outro ser humano para se autopromover ou pelo simples delírio de se sentir melhor, é abominável! Seus bajuladores conseguem ser ainda piores e junto a seus senhores muitas das vezes “matam” o que poderia ser um futuro colecionador ou um feliz acumulador de relógios.

O fato de alguém gostar de relógios de grife como Nike, Lacoste ou Timberland não o faz pior ou melhor que um colecionador de Patek Philippe, assim como um novato no fórum fazendo aquela pergunta que já foi feita dezenas de vezes, pode simplesmente receber uma resposta como “essa pergunta já foi feita no link tal”, contrariamente a ataques e agressões como vemos inúmeras vezes. Nem todos estão habituados a esse universo de fóruns ou mesmo à internet, pode ser alguém muito jovem ou muito idoso tentando ingressar no meio e que acaba sendo rechaçado sem motivação lógica.

Seiko Super de 1961. Foto: daddyswatch.com

O que nos tranquiliza é saber que essas pessoas, graças ao bom Deus, apesar de serem barulhentas são uma minoria e devem ser chamadas à reflexão e correição de atitudes, persistindo o problema, basta ignorá-las, pois não acrescentam nada ao mundo.

Analisando esses aspectos, conclui-se que o “juntador” compra aleatoriamente seus relógios, não possui muitos parâmetros, não costuma estudar o assunto e se pauta usualmente pela estética, porém não deixa de gostar de seus relógios e de se divertir. Já o colecionador volta-se um pouco mais ao estudo do tema, desenvolve critérios e não raramente já foi um acumulador. Não faltando o respeito ao indivíduo, a diversão e o gosto pelos relógios, esteja à vontade para se colocar no grupo em que se sentir melhor!

Compartilhe abaixo se você já presenciou algumas das situações aqui descritas e não deixe de assinar nossas notificações por e-mail, de se inscrever em nosso canal no YouTube, curtir nosso Facebook e de nos seguir no Instagram. Forte abraço!

 

 

14 comentários em “Reflexão: Diferenças entre juntar e colecionar relógios

Adicione o seu

  1. Já vi essa questão do fórum acontecer muitas vezes, alguns usuários antigos ficam de saco cheio de responder as mesmas perguntas, mas ao mesmo tempo sempre respondem (mal) para ganhar quantidade de comentários. Foi uma das razões de eu não usar mais fórum.
    Muito bom seu site parabéns.

    1. Olá Rodnei! Fico feliz que tenha gostado!
      Infelizmente há pessoas assim, mas como disse no artigo acima, ainda são a exceção.
      Abraço!

  2. Ramón,

    De fato alguns grupos acabam desestimulando e afastando colecionadores em potencial ou como você classificou “acumuladores felizes”, há muita arrogância em alguns membros, seja em fóruns ou grupos de Facebook, parecem estar sempre a espreita para criticar, menosprezar ou despejar sua infindável sabedoria no intuito de diminuir o outro. Eu por exemplo gosto muito da relojoaria japonesa , com foco nos Seiko e Orient apenas automáticos, produzidos entre os anos 60 a 90, e com um número de exemplares bem modesto. Não sei quase nada, mas busco conhecimento, contudo sei que devo ser considerado nestes seletos grupos um acumulador do baixíssimo clero, entretanto não ligo pra esse tipo de julgamento vazio e maldoso, estou tranquilo no rol dos felizes kkkkkkkkkk.

    1. Não sei como esses “seletos grupos” o classificariam, mas pelo simples fato de buscar conhecimento você já é um colecionador, meu amigo. Essas classificações são úteis apenas no momento de distinguir aquelas pessoas que realmente “só gostam de relógio” e não têm qualquer outras aspiração. Já vivi algumas situações em que perguntei “ahh, então você coleciona relógios? Que legal” e tive como resposta algo parecido com “não é beeem uma coleção, eu curto relógios e tenho alguns” ou “tenho alguns relógios, mas não sou assim um colecionador, sabe?”. Esses curtem seus relógios, gostam da variedade e são felizes tendo alguns ou vários sem qualquer critério, e quem os pode condenar? Ninguém, talvez sejam mais felizes que muitos “colecionadores” e provavelmente com um caráter melhor que muitos integrantes desses “seletos grupos”.
      Você gosta de relógios, curte suas peças, estuda o assunto, segue uma temática, por mais que talvez ainda não se considere um colecionador, para mim certamente você o é.
      Grande abraço Thiago!

  3. Agradeço meu amigo! E sempre estarei buscando conhecer mais sobre estas fantásticas máquinas japonesas. Não tenha dúvida que o Seikophd tem sido uma das melhores fontes que conheço recentemente, torço muito pelo êxito deste site, pois há muito precisávamos de uma fonte nacional de qualidade que nos informasse com propriedade sobre a Seiko.

    1. Fico feliz de saber que o SeikoPhD tem ajudado Thiago. Esse retorno é muitíssimo importante, agradeço meu amigo. Um abraço!

  4. Já me peguei, tratando mau alguns colegas que gostam de replicas e outro relógios de grife, eu gosto de ter relógios originais e sempre os antigos, tenho uns 15 relógios, de várias marcas automáticos, a corda, e quartzo.dificilmente compro relógio novo pois até os de marcas antigas são falsificadas.o mais novo meu tem 38 ano, o mais antigo um Seiko seahorse é dos anos 60..gosto de ler as histórias e sempre que vou comprar um usado pesquiso, ano, o calibre, etc, mas ainda me considero um juntador de relógio..

    1. Saudações Grisalho! Tenho uma verdadeira paixão por itens vintage e com os relógios não poderia ser diferente, você deve ter uma coleção incrível meu amigo.

      Olha, também acho extremamente difícil conversar de forma amigável com quem compra réplica conscientemente, é quase impossível, o fato de adquirir uma réplica já diz tudo o que preciso saber sobre o caráter daquela pessoa e, de maneira geral, não gostaria de ter alguém assim em meu círculo de amizades.

      Se o indivíduo não pode comprar um certo relógio Seiko no momento, há modelos por bons preços na série Seiko 5 ou até mesmo de marcas nacionais por menos de 100 reais, realmente não há desculpas para comprar uma réplica e tenho combatido tal prática através da série Fakes Hunter. Quanto aos relógios de grife penso que vale mais a orientação e o compartilhamento do conhecimento, nesse ponto entra o SeikoPhD, pois geralmente quem junta esses relógios só sabe que de tempo em tempo tem que trocar a bateria rsss.

      Não vejo problema algum em se considerar um “juntador de relógio”, acredito que está sendo bastante modesto para alguém “grisalho” que certamente já acumula algumas prazerosas décadas de caminhada por esse fascinante mundo dos relógios.

      Um abraço meu amigo! É um prazer tê-lo por aqui e quero saber mais sobre seu SeaHorse, futuramente teremos um artigo especial sobre esses maravilhosos relógios.

  5. Bom dia Ramon!

    Escrevo esta mensagem para lhe pedir um conselho!

    Estou fascinado pelos relógios vintage da Seiko, mormente por muitos modelos serem os percursores de grandes avanços tecnológicos em suas épocas, tais como o 6138, o LM 36.000 etc.

    E uma marca com quase 140 anos de história, modelos diferentes, bonitos e icônicos não faltam!

    Porém, percebi que talvez esteja tomando um rumo errado. Por vezes me interesso pelos Divers 6309-7290, 7002-7000, outras pelos Bell-matic, KS, Sportsmatic dos anos 60, até os Seikosha, Gyro Marvel, LM etc, talvez por me lembrar dos Presage que tanto gosto. Hoje mesmo estou interessado num Elnix rsrs (achei interessante um relógio a bateria mas com movimento automático, acho que é isso)

    Quanto mais vamos lendo, estudando, reconhecendo o pioneirismo da Seiko na historia da relojoaria, passamos a admirar cada vez mais esta marca nipônica e queremos adquirir um pedaço da historia por um preço justo.

    Ai lhe pergunto como ter uma coleção que nos satisfaça sem onerar muito o bolso;/ Pensei em eleger uma categoria e adquirir as melhores peças desta linha (por ex: Divers e adquirir um 6309-7290,7002-7000 e o SKX, de modo a ter todas as gerações e me limitar a esses modelos). Porem essa trajetória de pesquisas e leituras me deixa euforico quando vejo uma peça que diificilmente verei novamente no mercado, como os Marvel´s, Seikosha etc.

    Não sei se estou no caminho certo ao adquirir relógios vintages, correndo riscos de receber peças com algum problema ou uma acuração ruim, ao invés de adquirir relógios novos numa relojoaria. E outro fator é que tenho um estilo bem flexível, gosto desde dos Samurai, Turtle, Sumo até os Presage, Sportura etc.

    Por vezes, incorro no erro e equívoco pensando que determinado relógio vintage vai valorizar ou ao menos manter seu preço no mercado, como uma justificativa de “investir” na aquisição.

    Enfim, não sei se tem alguma receita para seguir

    Aproveito para lhe perguntar qual relógio,na sua opinião, é indispensável numa coleção, seja pela historia, pela qualidade do calibre ou pela beleza. Arrisco em dizer que seria o cronógrafo 6138 ou GMT 6217.

    Um grande abraço!

    1. Bom dia Hector!

      Sei muito bem o que está sentindo meu amigo, já passei por isso muitas vezes, é algo comum especialmente quando se abre aquele leque enorme de opções à nossa frente.

      Como disse acima te agradam tanto os vintage quanto os modernos, então não se limite a um ou a outro, tenha ambos, não há problema algum nisso.

      Acredito que se começar pelos diver’s, como disse acima, é mais difícil de comprar algum relógio com problema, até pela simplicidade dos calibres, então pode ser um bom começo, mas cuidado com os mostradores e ponteiros de reposição, pois são muito comuns. Os modelos com calibre 7002 no ML estão infestados deles, não existe mostrador colorido para o 7002, estou para escrever um guia de compras para esses relógios há muito tempo…

      Um segundo passo seriam os cronos de calibre 6139 e 6138 que já são um pouco mais arriscados por conta da complexidade do mecanismo, manutenção mais onerosa e também carregam os riscos de peças de reposição.

      Os modelos vintage GMT (6117, 6217) são ótimas opções por geralmente possuírem um bom tamanho para os padrões atuais (assim como os diver’s e cronos acima) e possuírem um calibre de manutenção mais simples se comparados aos cronos.

      Os modelos dos anos 60 para trás geralmente esbarrarão na questão do tamanho, pois a maioria é menor que 35mm de caixa fora a coroa, o que pode ser limitante para muitas pessoas, eu mesmo me limito a 37 mm por uma questão de gosto pessoal e por ter um pulso médio/grosso.

      Analisando todos esses fatores penso que você precisa ter um relojoeiro de confiança para se aprofundar nos relógios vintage, pois uma hora ou outra precisará submetê-los à manutenção, seja uma revisão na hora da compra, seja uma manutenção preventiva posteriormente.

      Depois disso pode começar pelos diver’s clássicos observando aqueles cuidados na hora de comprar um relógio vintage.

      Um próximo passo seriam os GMT ou cronos, mas dê preferência por modelos declarados pelo vendedor como “revisados”, a menos que tenha um ótimo relojoeiro e compre já pensando em revisar ou reparar algo.

      Por fim não esqueça dos modernos e não tenha pressa, vá separando um dinheiro todo mês que na hora certa um ótimo relógio aparecerá.

      Espero ter ajudado e qualquer dúvida estou à disposição, forte abraço!

  6. Obrigado pelo conselho Ramon!
    As dicas do Seiko Phd estao me livrando de várias compras que seriam infelizes! Tal como a dica da inscrição SEIKO nos mostradores dos 6309 e 7002, em que o “O” é mais deitado nos mostradores originais e muitos outros detalhes!

  7. Como estou começando agora nos Seikos automáticos vou por em prática o que estou aprendendo aqui. Humilhar e se achar melhor que alguém por causa de relógio não dá. Vou por enquanto começar com os Seiko 5.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑