REVIEW: Seiko Bullhead Automatic Chronograph 6138-0040

A série de relógios Seiko equipados com calibre 6138 representou a segunda geração dos relógios cronógrafos automáticos da empresa e foi fabricada de 1970 a 1979. Esse movimento acrescentava um sub-registro de 12 horas se comparado ao calibre 6139 (registro único) lançado um ano antes e, como veremos mais adiante, foi um marco na história da Seiko e na história da relojoaria mundial.

O modelo que analiso hoje é o Seiko de referência 6138-0040 na cor marrom, fabricado em 1977, e também chamado de Seiko Bullhead por conta da localização de seus empurradores e coroa que, ao invés de estarem na lateral como na maioria dos relógios, localizam-se no topo da caixa, lembrando a cabeça de um touro.

Seiko BullHead 6138-0040. Foto: @SeikoPhD.

O Seiko Bullhead é considerado por muitos o relógio mais emblemático já produzido por esta fabricante, outros dizem se tratar de um dos três exemplares mais bonitos da empresa, o que seriamente concordo é que se trata de um dos mais interessantes e enigmáticos relógios que a Seiko já construiu, uma verdadeira obra de arte da extravagante engenharia dos anos 70.

Um dos principais atrativos desse relógio é sua bela caixa assimétrica. Especialmente desenhado para ser utilizado em corridas automobilísticas, os designers do 6138-0040 o projetaram de forma a ter o mostrador levemente inclinado para baixo, com isso o piloto teria mais facilidade de visualizar os ponteiros do relógio enquanto conduzia seu veículo. Já coloquei em teste essa função e realmente facilita a visão, mas observar os pequenos marcadores do cronógrafo enquanto se corre a mais de 200 km/h me pareceu algo bem complicado – e perigoso!

Os detalhes da estrutura do fundo do Bullhead. Foto: seikophd.com

A solução encontrada pelos projetistas foi um interessante ressalto que se pode ver no fundo do relógio, é algo realmente bonito e inusitado de observar. A caixa possui o conhecido belo padrão de acabamento da Seiko com arestas bem definidas, onde se pode observar áreas polidas e escovadas em uma harmonia verdadeiramente agradável. Como meu exemplar não sofreu restauração (e nem vai) as marcas do tempo se fazem presentes, mas ainda é possível ver as texturas do acabamento original de fábrica.

Toda a estrutura do relógio é em aço inoxidável de grande qualidade. A altura da caixa é algo que precisar ser destacado. Por se tratar de um dos relógios mais altos já produzidos pela Seiko, seria realmente difícil utilizá-lo sob uma camisa e blazer, por outro lado, essa nunca foi sua razão de existir e não chega a ser um real problema.

Seiko BullHead 6138-0040. Foto: @SeikoPhD.

Praticamente todos os Bullheads vinham com bracelete em estilo “espinha de peixe” de design assimétrico, onde a base próxima à coroa é mais larga e vai afinando até o fecho, exceto uma versão JDM que foi produzida também com pulseira oyster. O encaixe na parte inferior da caixa é menor que na parte superior e essa é uma forma simples de diferenciar uma pulseira original de outras feitas para substituição.

O fecho é simples, de apenas um clique (algo comum para a década de 70), o que inicialmente me causou um certo receio por conta do peso do relógio e esse possível conflito. Surpreendi-me ao constatar que no pulso o conjunto funciona curiosamente bem, o relógio fica estável e eu não modificaria coisa alguma. Cheguei a realizar alguns testes invertendo a posição da pulseira, como pode ser visto na primeira foto, todavia achei desnecessário e voltei à posição inicial.

Seiko BullHead 6138-0040. Foto: seikophd.com

Seu aro externo (bezel) é fixo e traz inscrições de taquímetro. Por conta da espessura da caixa essa parte do relógio pode ser um alvo constante de colisões e esbarrões, então é recomendado tomar um pouco mais de cuidado quando estiver com seu Bullhead no pulso. Originalmente marrom, o decalque do meu bezel ganhou belos tons alaranjados com o passar das décadas, o que realmente me agrada e harmoniza bem com os detalhes dourados do mostrador.

Os ponteiros de hora e minuto são brancos em sua maior extensão com uma base negra mais discreta. Na versão do meu relógio eles são revestidos de pintura luminescente em sua parte central (a versão Speed-Timer não possui essa pintura), no entanto, sofreram um pouco com o passar do tempo e, talvez, mereçam um leve reparo – continuarei pensando nessa possibilidade pelos próximos anos, apesar da pressão do meu grande amigo Gelson Filgueiras rss! Nesta versão o ponteiro do marcador só existe na cor amarela e possui um formato piramidal bastante agudo. Já os ponteiros dos acumuladores são pretos e afinam em direção à ponta, outra forma bem simples de identificar ponteiros de substituição que geralmente são finos em toda sua extensão.

Seiko BullHead 6138-0040. Foto: @SeikoPhD.

A Seiko sabe fazer lindíssimos mostradores e desta vez não poderia ser diferente. O mostrador do Bullhead é um de seus grandes destaques, os sub-registros e o calendário são aplicados em baixo relevo e possem uma belíssima cor dourada que assegura um visual vintage bastante interessante, tudo isso protegido pelo confiável cristal Hardlex. Importante destacar que o Seiko Bullhead apresenta um “mostrador estático”, ou seja, enquanto funciona, se o cronógrafo não for ativado, nenhum ponteiro deslizará constantemente pelo mostrador, apenas os de hora e minuto se moverão quando necessário.

No coração do meu Bullhead bate o imponente calibre 6138B automático, de 23 rubis, da Seiko (o cal. 6138A foi produzido de 70 a 72 e possui 21 rubis), o primeiro cronógrafo automático de dois registros totalmente integrado com uma roda de coluna e embreagem vertical, um enorme avanço para a época e de tamanha importância que três décadas após seu lançamento, no ano 2000, a Rolex usou uma variação dessa máquina para equipar o belo Rolex Daytona. Esse movimento ainda possui câmbio rápido do calendário (dia/data) e corda manual, o que à época representou um salto tecnológico da Seiko na corrida pelos primeiros cronógrafos automáticos, deixando fabricantes suíças como Zenith, Breitling e Heuer, para trás.

Seiko BullHead 6138-0040. Foto: seikophd.com

O funcionamento do cronógrafo é bastante simples, o empurrador da esquerda ativa e para o ponteiro do marcador, o da direita zera todo o cronógrafo, os acumuladores marcam 30 minutos à direita e 12 horas à esquerda. Apesar do Bullhead não ser exatamente raro, é muitíssimo procurado por admiradores e colecionadores dos mais diversos temas, tornando realmente difícil encontrar no mercado um exemplar por bom preço e em condições originais hoje em dia, devendo-se sempre estar atento às 7 dicas para se adquirir e colecionar relógio vintage.

Esses relógios vêm subindo rapidamente de preço nos últimos anos e essa é uma tendência que deve persistir. Quando foi lançado ele custava US $ 145, o mesmo preço do seu contemporâneo Omega Bullhead de corda manual. Ocorre que hoje não se encontra um Omega desse por menos de US $ 10.000, ele se tornou raro e caríssimo com o passar do tempo e só mais recentemente os colecionadores se atentaram para o Seiko Bullhead que inicia sua corrida de valorização.

Seiko BullHead 6138-0040. Foto: seikophd.com

Como não é mais produzido ele só pode ser encontrado no mercado de usados e seu valor varia bastante, em boas condições costuma ir dos R$ 2.500,00 aos R$ 5.500,00 – já vi por valores maiores, mas aparentemente não vende. Lá fora também oscila bastante de acordo com sua condição, os melhores e originais normalmente ultrapassam os US $ 1.000.

É um relógio realmente especial, bonito, de design singular e funções muitíssimo interessantes. Se surgir uma oportunidade não a deixe passar, é uma peça linda que te renderá horas e horas de observação e boas conversas.

Dados técnicos:

Referência: Seiko 6138-0040;
Código: AV027;
Apelido: Bullhead;
Tipo: Cronógrafo automático;
Calibres: 6138A (21 jewels) e 6138B (23 jewels);
Alternâncias por hora: 21.600 a/h;
Reserva de energia: aproximadamente 42 horas;
Resistência à água: 70 m;
Mostrador: Marrom degradê com sub-registros dourados;
Coroa: Localizada às 12 horas;
Caixa: 44 mm;
Bezel: Marrom, fixo, com gravações de taquímetro;
Bracelete: 20 mm.

Não deixe de assinar nossas notificações por e-mail, de se inscrever em nosso canal no YouTube, curtir nosso Facebook e de nos seguir no Instagram. Forte abraço!

 

 

14 comentários em “REVIEW: Seiko Bullhead Automatic Chronograph 6138-0040

Adicione o seu

  1. Estou querendo comprar um bullhead preto, indica algum lugar de confiança? Obrigado, parabéns pelo artigo.

    1. Olá Vítor! Obrigado, fico feliz que tenha gostado do artigo. Como disse no texto acima é preciso procurar no mercado de seminovos, tomando alguns cuidados com qualificações de vendedores é possível realizar bons negócios nos grandes sites de vendas do Brasil. Pesquise com calma, esteja atento aos cuidados básicos na hora da compra e boa sorte!

  2. Parabéns pelo artigo e pelo relógio Ramon! Realmente maravilhoso, ainda mais 100% original! Estava procurando um Bullhead, mas os valores estão lá em cima, acho q até acima do Pogue!
    Gostaria de saber em que momento o Bullhead subiu às alturas, por exemplo o Pogue subiu depois da revelação que o Cel. W. Pogue foi ao espaço com seu Seiko 6138.
    Dúvida se vale a pena se aventurar em comprar um Bullhead ao invés de um Sumo ou Turtle zero! rsrs
    Um grande abraço

    1. Boa tarde Hector! Tudo bom meu caro?

      Veja, o calibre 6138 sempre foi superior ao 6139 por possuir dois acumuladores, ser mais complexo e com isso trouxe relógios mais interessantes. Os modelos com calibre 6138 como Bullhead, Panda, Kakume e Calculator são realmente mais procurados e caros que os 6139 como o Pogue.

      A disparada de preço dos Seiko vintage vem de uns quinze anos para cá e nessa onda veio o Bullhead, um dos mais interessantes relógios já fabricados pela Seiko, sem dúvida alguma. Acredito que o teto ainda está longe, vai subir mais nos próximos anos.

      Bullhead, Sumo ou Turtle? Bem, são relógios bem diferentes e vai depender dos modelos que você deseja e de quanto está disposto a gastar. Vamos imaginar que encontrou um Bullhead bem conservado, original, em pleno funcionamento e pelo mesmo preço do Turtle novo… Poxa, sem dúvida alguma o Bullhead. Se for pelo mesmo preço do Sumo novo, vai do seu gosto, embora certamente o Bullhead seja mais relógio que o Sumo, se é que me entende.

      Um crono automático, de dois acumuladores, com uma caixa extremamente interessante, emblemática, original, bem conservado… Poxa, é difícil superar isso viu Hector. O Sumo é um baita relógio, mas está em uma outra categoria e um pouco aquém do seu “concorrente”.

      Encerrando falarei de mim, meu Bullhead marrom ou meu Sumo 1ª geração? Sem pensar duas vezes o Bullhead.

      Um abraço meu amigo e caso decida não deixe de nos contar.

      1. Boa noite Ramon!

        Eu achava que pelo fato do 6139 ter sido introduzido antes do 6138, sendo o primeiro cronógrafo automático, ainda que com apenas um registro, tenderia aquele a ser mais valorizado que este.

        Corrija-me se estiver enganado, acho um grande risco comprar um vintage, pois a maioria deles encontram-se à venda no mercado online, em especial no e-bay em que a maioria dos vendedores são da Ásia, de forma que corremos o risco de comprar relógios com problemas ou com peças substituídas. Aí tem aquele gasto com revisão , manutenção, substituição etc. Se tivesse um local onde poderíamos manusear a peça antes de adquirir seria perfeito, pois devolver o relógio por vezes se torna algo inexequível.

        Aconteceu com o Bell-matic que adquiri, acho q ele está com problema no alarme, se me permite vou comentar lá no artigo dos relógios Vintage para não ficar bagunçado, já que eu envio vários questionamentos, pois é difícil achar uma autoridade em temas específicos de relógios Seiko.

        Obrigado pelas informações e pela paciência!

      2. Tem toda razão Hector!

        Acredito que a substituição de peças seja o principal problema, pois podemos comprar gato por lebre. Não tenho nada contra alguém comprar um relógio com peças aftermarket, não mesmo, desde que ele saiba o que está comprando e não seja enganado.

        Já devolvi VÁRIOS relógios que vieram com problema, isso é muito tranquilo, uma vez que o Código de Defesa do Consumidor nos garante esse direito em até sete dias após a compra por meios virtuais (internet, telefone), sem qualquer tipo de justificativa, basta devolver.

        Obrigado por contribuir para nossa organização de comentários, abraço!

  3. Bom dia Ramon, meu pai tinha um Bullhead desse igual o seu, ele me deixou de herança. Gostaria de restaura-lo pois o vidro está muito arranhado e precisa dar uma polida, a pulseira não tem mais. Você indica algum restaurador de confiança ?

    1. Olá Dias!
      Parabéns pelo relógio meu amigo, certamente vale a pena restaurá-lo e acredito que o ideal seria trocar o cristal, quanto à pulseira é possível encontrar seminovas e aftermarket fora do país, às vezes algumas aparecem por aqui também.
      De onde você é?

      1. Em SP temos o Vinícius Carregalo, um exímio restaurador e pessoa da melhor índole. Acesse seu Instagram (aqui) e diga que lhe indiquei, ele o atenderá da melhor maneira possível. Após concluir a restauração do seu relógio não deixe de enviar algumas fotos no grupo Seiko Brasil no Facebook, o pessoal vai gostar bastante.
        Abraço!

      2. Muito obrigado Ramon. Vou entrar em contato com ele ! Forte abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑